EnglishFrenchGermanItalianPortuguesRussianSpanish
Home / Foodservice / PESQUISA+VALOR+TICKET:60% DOS TRABALHADORES PREFEREM ALMOÇAR EM RESTAURANTES COMERCIAIS E SELF-SERVICES

PESQUISA+VALOR+TICKET:60% DOS TRABALHADORES PREFEREM ALMOÇAR EM RESTAURANTES COMERCIAIS E SELF-SERVICES

RESTAURANTES DE AUTOSSERVIÇO, COMERCIAIS OU `A LA CARTE, JUNTOS, EM 2018, RECEBERAM NO ALMOÇO 33,4 BILHÕES (METADE DO GASTO DO TRABALHADOR), E REPRESENTARAM 44% DO TRÁFEGO DE CONSUMIDORES

Mais de 60% dos trabalhadores formais preferem almoçar em estabelecimentos que ofereçam pratos comerciais e em autosserviços, os chamados self-services.

É o que aponta a Pesquisa+Valor, apoiada pela Ticket, marca da Edenred Brasil, pioneira no setor de benefícios de refeição e alimentação.

O estudo mostra que o perfil do trabalhador que escolhe um prato comercial é, em sua maioria, homens entre 35 e 44 anos.

Os restaurantes à la carte são os preferidos por trabalhadores da classe média alta e por homens entre 45 e 54 anos.

Já 47% das mulheres buscam mais o autosserviço, em razão da conveniência e da livre escolha dos alimentos.

O trabalhador é fiel à sua rotina. O hábito, a conveniência e a comida são as principais razões de escolha na hora do almoço fora de casa, tanto em restaurantes de autosserviço quanto comerciais ou à la carte.

O brasileiro também busca a melhor opção de estabelecimento pelo preço mais em conta ou pelo desconto oferecido.

O atendimento amigável também é um fator que influencia a escolha do empregado.

“O empregado segue padrões que ele mesmo determina, combinando razões que facilitem o cotidiano, proporcionem uma boa refeição e que tragam, na medida do possível, descontos e promoções. Isso traz fidelidade à sua rotina, com um almoço que contenha alimentos que lhe deem um dia a dia saudável, energia e vigor para enfrentar sua jornada”, destaca Felipe Gomes, diretor-geral da Ticket.

Os restaurantes à la carte são eleitos pelos trabalhadores para ocasiões especiais, como comemorações de resultados, aniversários e outras datas comemorativas, já que o tempo gasto nesses locais é maior.

Nos estabelecimentos que oferecem pratos comerciais ou de autosserviço, as refeições individuais são responsáveis por mais de 60% da frequência diária.

Os três sistemas juntos receberam em 2018, de acordo com a pesquisa, metade do gasto do trabalhador no almoço, R$ 33,4 bilhões, e representaram 44% do tráfego de consumidores.


Preço médio da refeição

A Pesquisa+Valor apresentou ainda o gasto médio do trabalhador brasileiro na hora do almoço.

Em 2018, o preço da refeição completa no Brasil, que contém prato principal, sobremesa, bebida e café, ficou em R$ 34,84. Só o prato equivale a 57% do gasto total, enquanto a sobremesa chega a 21% do valor; a bebida, 12%; e o cafezinho, 10% do gasto na hora do almoço.

NEWTRADE Economia

Data 13 maio, 2019

6newsalmocorefeicaotickettrabalhador

Sobre Sindal

Entidade sindical patronal da indústria do Estado de São Paulo, oficializada pelo MTE em 25 de janeiro de 1999, o SINDAL congrega, defende e representa os interesses das empresas que se dedicam à atividade econômica de projetar, fabricar, montar, suprir e dar manutenção em equipamentos e produtos para cozinhas profissionais e para a infraestrutura física de produção de alimentos servidos pelo setor do foodservice em geral.

Veja também

OS NÚMEROS DAS REDES DE FAST-FOODS NO BRASIL

MERCADO & CONSUMO – 11 de abril de 2019 – Por Marcos Hirai ( [tempo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *