EnglishFrenchGermanItalianPortuguesRussianSpanish
Home / Feiras e Eventos / COMO O CORONAVÍRUS ALTEROU O SERVIÇO DE CAFÉ DA MANHÃ NOS HOTEIS
Poblano Migas assadas no Omni Mokara em San Antonio. O café da manhã é um chamariz de A&B para hotéis. No entanto, o COVID-19 alterou a forma como esse programa é oferecido aos hóspedes.

COMO O CORONAVÍRUS ALTEROU O SERVIÇO DE CAFÉ DA MANHÃ NOS HOTEIS

Hotéis estão cortando A&B diminuindo o buffet self-serv e se voltando para opções para viagem (grab and go)

Michael Costa | 26 de agosto de 2020

A indústria hoteleira oferece aos viajantes uma ampla gama de níveis de serviço, tipos de quartos e comodidades com base no preço, mas uma área que a maioria dos hotéis compartilha, independentemente do nível, é o café da manhã. O período da manhã tradicionalmente captura cerca de 90% dos hóspedes que pernoitam, porque eles não precisam deixar o local para fazer uma refeição após acordarem. Os buffets de café da manhã, em particular, têm sido um alimento básico por décadas, devido à variedade do menu e valor percebido como all-you-can-eat.

No entanto, desde a pandemia do coronavírus, a definição de café da manhã em hotel mudou consideravelmente. Hotéis onde os buffets são a base de seu programa de alimentos e bebidas – como bandeiras  e marcas de serviços especiais e cassinos – ou fecharam ou os modificaram com atendentes preparando os pratos para os hóspedes. A maioria dos hotéis, porém, abandonou completamente os buffets.

“Nosso restaurante buffet está apagado desde o início do COVID-19”, disse Sebastian Hansen, gerente geral de área do Hilton St. Petersburg Bayfront. “Atualmente, oferecemos um café da manhã continental para viagem, mas contamos principalmente com nosso Starbucks para atender às necessidades dos hóspedes. Estamos planejando como podemos reabrir com segurança nosso restaurante de café da manhã, com foco em menus à la carte preparados na hora, em vez de um conceito de buffet.”

Antes do coronavírus, o buffet do Hilton Bayfront era ocupado com um menu amplo e vários cozinheiros trabalhando em estações de ação para os hóspedes. Desde então, o buffet foi reavaliado não apenas por Hansen e sua equipe, mas também pela empresa de gerenciamento Remington Hotels, que supervisiona 87 propriedades nos Estados Unidos

“Nós interrompemos os buffets de nossos hotéis que reabriram seus programas de comidas e bebidas. Estamos oferecendo pacotes para viagem de cortesia com frutas frescas, muffins, sucos e barras energéticas, por exemplo, e ampliamos nossas ofertas para levar para o café da manhã em outras propriedades”, diz Don Falgoust, vice-presidente de F&B estratégia e execução para Remington Hotels. “Os hóspedes em geral não desejam participar de buffets agora e apreciam nosso pivô para um ambiente mais seguro.”

No Vail Resorts, com um portfólio de quase 60 propriedades, as embalagens para viagem com burritos no café da manhã, sanduíches e parfaits substituíram os buffets matinais e os menus à la carte por enquanto. Faz parte da estratégia da empresa “limitar os pontos de contato para funcionários e hóspedes”, explica Lou Trope, vice-presidente, F&B, Mountain Division, Vail Resorts. “Como muitas jurisdições baniram os buffets ou adicionaram restrições significativas em relação ao serviço, estamos procurando as alternativas mais seguras para fornecer café da manhã, mas não da maneira tradicional. Isso pode incluir oferecer exclusivamente para viagem ou algum tipo de menu à la carte limitado.”

River Walk Reconfiguração

Buffets também estão fora do menu nas duas propriedades do Omni em San Antonio River Walk: Omni La Mansion del Rio e Mokara Hotel & Spa.

Foto: Rabanada no restaurante Las Canarias do Omni La Mansion, no San Antonio River Walk.  Crédito: Las Canarias

O café da manhã é um cartão de visita de A&B não apenas para esses dois hotéis, mas para todo o portfólio da Omni, sob seu programa Art of Breakfast com foco regional. No entanto, o COVID-19 alterou a forma como esse programa é apresentado aos convidados.

O restaurante Las Canarias em Omni La Mansion fechou seu buffet (o restaurante Ostra em Mokara não tinha um) e ambos os lugares agora oferecem menus à la carte simplificados, além de comida para viagem, com pratos como poblano migas assadas, tacos de café da manhã, chilaquiles a la Mexicana e huevos rancheros.

“Com a implementação de nossas iniciativas de marca Omni Safe & Clean and Stay a Part of Safety, estamos aderindo às diretrizes estabelecidas pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças, pela American Hotel & Lodging Association e do nosso governo local. Isso inclui a capacidade de lugares ajustada para permitir um distanciamento social de seis pés nas plantas de cada restaurante; estações de saneamento estrategicamente colocadas para hóspedes e associados; e menus sem contato por meio de códigos QR. A equipe também foi reduzida para refletir nossos níveis de negócios e assentos condensados ​​para o distanciamento social”, disse Edward Parker, diretor de F&B em ambos os hotéis San Antonio Omni.

As taxas de ocupação para cada hotel nesta história estão bem abaixo do número de 90% pré-COVID-19 mencionado anteriormente e, em todo o setor, menos hóspedes no café da manhã significa menos funcionários são necessários para atendê-los. Os funcionários que trabalham no turno da manhã devem usar máscaras e luvas o tempo todo.

Mesmo antes da chegada do coronavírus, os buffets de café da manhã já estavam sob olhar crítico, em grande parte devido à quantidade de resíduos alimentares que podem gerar. No entanto, o verdadeiro futuro do café da manhã em um hotel dependerá se os hóspedes desejam retornar aos buffets self-service pré-COVID ou optar por bolsas à la carte para viagem.

“As pessoas em geral estão bastante sensíveis à segurança nos buffets agora”, observa Hansen, citando o feedback recente dos clientes, “mas certamente há um desejo de que os convidados se socializem novamente pela manhã”.

Restaurant Hospitality – Hotel Dinning

Sobre Sindal

Entidade sindical patronal da indústria do Estado de São Paulo, oficializada pelo MTE em 25 de janeiro de 1999, o SINDAL congrega, defende e representa os interesses das empresas que se dedicam à atividade econômica de projetar, fabricar, montar, suprir e dar manutenção em equipamentos e produtos para cozinhas profissionais e para a infraestrutura física de produção de alimentos servidos pelo setor do foodservice em geral.

Veja também

SUPERMERCADO INSTALA DARK KITCHEN DENTRO DA LOJA PARA DELIVERY

REDE DE SUPERMERCADOS KROGER TRAZ A CLUSTERTRUCK ‘COZINHAS FANTASMAS’ NA SUA LOJA SÓ PARA ENTREGA …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *