EnglishFrenchGermanItalianPortuguesRussianSpanish
Home / Feiras e Eventos / DARK KITCHENS: POTENCIAL PARA GERAR US $ 1 TRILHÃO EM NEGÓCIOS DE ATÉ 2030

DARK KITCHENS: POTENCIAL PARA GERAR US $ 1 TRILHÃO EM NEGÓCIOS DE ATÉ 2030

AS DARK KITCHENS TÊM UM POTENCIAL PARA GERAR US $ 1 TRILHÃO ATÉ 2030 EM OPORTUNIDADES GLOBAIS DE NEGÓCIOS.
31 de julho de 2020

“A partir de 2020 haverá uma proliferação de restaurantes fantasmas (Ghost Kitchens) que impulsionará fortemente o aumento de restaurantes virtuais e o de marcas de alimentos preparados apenas online, sem locais físicos, disse Schaefer”.

“No futuro, um mercado fantasma (Ghost Market), de cozinhas fantasmas mais robusto poderá inaugurar a automação avançada de restaurantes”.

De acordo com um estudo recente da Euromonitor International, foi analisado como as Dark Kitchens e os restaurantes virtuais estão mudando o setor:
O relatório analisa a aceleração desses formatos durante a pandemia do COVID-19, e o surgimento de um novo ecossistema de alimentos e bebidas, à medida que a linha entre varejo e serviço de alimentos (foodservice) continua a diminuir.

Qual a importância dessas mudanças?

De acordo com a Euromonitor International:

Mesmo antes da pandemia, as vendas globais de restaurantes via delivery mais que dobraram entre 2014 e 2019;

52% dos consumidores sentem-se à vontade para fazer pedidos num restaurante que entrega apenas por delivery;
Dark Kitchens estão ganhando terreno.
Estima-se que haja 3.500 na Índia, 1.500 nos Estados Unidos e 750 dark kitchens no Reino Unido.
Ao capturar as compras direcionadas ‘ao foodservice, as dark kitchens podem criar uma oportunidade global de US $ 1 trilhão até 2030.

 

“À medida que a comida preparada se torna mais acessível, reduziremos cada vez mais a nossa própria elaboração de refeições”, diz Michael Schaefer, diretor global de pesquisa de alimentos e bebidas da Euromonitor International.
“Mas nosso interesse pela comida, suas origens e o que isso significa para nossas identidades, só se intensificará.

“Para obter mais informações sobre as dark kitchens e o futuro dos serviços de entrega de restaurantes, faça o download do seminário on-line da Euromonitor.

InternationalSilvanaLeonAssociado de ComunicaçõesEuromonitor InternationalSilvana.Leon@euromonitor.com

As cozinhas fantasmas (dark kitchens), ou instalações de cozinha que produzem alimentos apenas para entrega sem áreas de refeições ou voltadas para o cliente, podem criar uma oportunidade global de US $ 1 trilhão até 2030, de acordo com um webinar virtual da Euromonitor apresentado pelo líder global em alimentos e bebidas da Euromonitor, Michael Schaefer.

A empresa prevê que entregas mais baratas, rápidas e confiáveis ​​possam ajudar esse segmento a se apoderar de 50% do serviço drive-thru (US $ 75 bilhões), de 50% do take away, (serviço de comida para viagem – US $ 250 bilhões), 35% das refeições prontas (US $ 40 bilhões), 30% dos alimentos semiprontos de cozinha embalados (US $ 100 bilhões), 25% do serviço de refeições (US $ 450 bilhões) e 15% dos lanches embalados (US $ 125 bilhões).

Para a Euromonitor, os clientes estão ficando mais confiantes e seguros ​​com a entrega de alimentos.O fechamento de restaurantes em razão da pandemia de coronavírus, provocará uma mudança nas formações físicas de como restaurantes estão sendo operados, especialmente quando os estabelecimentos fechados deixam cozinhas e imóveis vazios para trás, gerando o desenvolvimento de novas cozinhas fantasmas, disse ele.

“Esperamos ver, na pandemia, mais operadoras de restaurantes reaproveitando e fazendo de tudo ao seu alcance para gerar receita nas suas propriedades e negócios. Da mesma forma, veremos muitos novos operadores procurando preencher o vazio com preços mais baratos e mais conceitos amigáveis ​​ao delivery, que exigem menos capital antecipadamente”, disse Schaefer.

Um dos principais impulsionadores do crescimento do mercado de cozinhas fantasmas é a mudança nas estruturas de custos do ambiente de serviços de alimentação, disse. As cozinhas fantasmas repassam as estruturas de custo dos restaurantes para o Delivery. Ao invés das refeições presenciais, a redução de funcionários que vem com um modelo focado no delivery reduz significativamente os custos de aluguel e de pessoal dos restaurantes, aumentando as margens de lucro. Por exemplo, 60% do custo de um café com leite da Starbucks representa o custo de aluguel e pessoal, de acordo com o Euromonitor, que citou dados do Financial Times.

À medida que o delivery e take out se tornam mais baratos, as cozinhas fantasmas crescem e se tornam mais centralizadas, reduzindo os tempos de entrega de alimentos no processo. Os restaurantes podem obter ganhos financeiros na otimização de seus negócios para a experiência fora do local, em vez de manter um salão de refeições.

“O verdadeiro indicador pós-COVID de quanto o delivery físico está ganhando é o que acontece no campo drive-thru. Se olharmos para mercados como os dos EUA e outros, onde o tráfego drive-thru é significativo e constatarmos que se desloca na direção do delivery (drive-thru recuando e diminuindo), este será um sinal muito forte de uma mudança radical, um ponto de inflexão, estará atingido o mercado em geral”, disse Schaefer.

De acordo com dados do Euromonitor, atualmente, os EUA têm 1.500 cozinhas fantasmas, colocando-o à frente do mercado do Reino Unido (750), mas atrás da China (7.500+) e da Índia (3.500+).

A indústria global de restaurantes foi influenciada pela expansão do Delivery (entregas de terceiros) entre 2010 e 2015, pois os restaurantes queriam entrar no mercado fora das suas instalações, mas não tinham capacidade para lançar suas próprias entregas.

No futuro, um mercado fantasma de cozinha fantasma mais robusto também poderá inaugurar automação avançada de restaurantes, disse Schaefer. Em cinco a dez anos, essa mudança pode se traduzir em automação total para a produção de certos itens do menu, como pizza, ramen ou café de alta qualidade, para aumentar a velocidade do serviço e reduzir os custos de produção de alimentos, disse ele.

Atualmente, plataformas do delivery de terceiros como Uber Eats, Kitchen United, Cloud Kitchens e Kitopi lideram o desenvolvimento de cozinhas fantasmas. Mas as principais redes de restaurantes também estão se interessando pelo negócio e pelo espaço. A Bloomin ‘Brands está pilotando formatos exclusivos de cozinha para pedidos apenas por delivery, o McDonald’s abriu um restaurante fantasma em Londres no ano passado e o Chick-fil-A está experimentando locais somente para cozinha em Nashville e Louisville, Kentucky, que preparam pedidos individuais e de catering As redes de restaurantes de bolso estão liderando essa experimentação conduzida no espaço dos seus estabelecimentos, mas como muitos pequenos restaurantes fecham permanentemente devido à interrupção do COVID-19, essa estratégia pode dar aos pequenos operadores sobreviventes a chance de comprar novas propriedades e continuar para atender ao aumento da demanda de entrega, equilibrando esse jogo.

 

Follow Emma Liem Beckett on Twitter

Sobre Sindal

Entidade sindical patronal da indústria do Estado de São Paulo, oficializada pelo MTE em 25 de janeiro de 1999, o SINDAL congrega, defende e representa os interesses das empresas que se dedicam à atividade econômica de projetar, fabricar, montar, suprir e dar manutenção em equipamentos e produtos para cozinhas profissionais e para a infraestrutura física de produção de alimentos servidos pelo setor do foodservice em geral.

Veja também

CORONAVÍRUS: EMPRESA BRASILEIRA CRIA EQUIPAMENTO QUE ESTERILIZA O AR

Produto foi desenvolvido pela KIIR, especializada em estruturas de alumínio. Esterilizador também pode ajudar no …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *